A vinda do Senhor

Claro que isso é um esboça de ideia geral dos textos abaixo, ainda temos as visões, Pré e pós tribulacionista que ao meu ver são as mais evidentes dentre outras que existem serão tratadas por cada um segundo sua compreensão do apocalipse e das profecias dos finais dos tempos. Isso é um breve estudo, acerca das linhas de pensamento já tenho a minha doutrina bem definida a uns 20 anos mais ou menos. Ceio em 2 eventos distintos. O arrebatamento e a segunda vinda de Cristo com a Igreja que foi arrebatada antes da grande tribulação. Neste estudo buscaremos uma definição esclarecedora quanto à ideia principal que cada termo usado no original quer dizer, pois temos muitos escritores nomeando o arrebatamento e a vinda em glória usando palavras gregas que, como veremos não permitem tal nomeação de modo definitivo. Depois você mesmo tire suas conclusões. Pois na verdade não estamos impondo nosso ponto de vista mas explicando a Bíblia, E O QUE ELA REALMENTE DIZ.

Os dois eventos, principalmente o primeiro, são esperados ansiosamente pela igreja, pois trarão consigo a consumação de uma expectativa viva e que deve ser alimentada com as palavras de Jesus que disse em João 14:2-3. (Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar. E, quando eu for e vos preparar lugar, voltarei e vos receberei para mim mesmo, para que, onde eu estou, estejais vós também).

No entanto existem teorias que negam sua existência ou que mesmo reconhecendo a realidade do arrebatamento o colocam em posição errada quanto ao tempo de seu acontecimento, é preciso então definir o evento de uma forma decisiva para romper com as dúvidas.

3.1- ARREBATAMENTO

O termo arrebatamento é encontrado em seu sentido escatológico em I Ts 4:17, quando o apóstolo Paulo explica acerca da situação dos mortos em Cristo na sua vinda e ao dizer com relação ao momento da retirada da igreja diz que os mortos ressurgirão primeiro e... Depois, nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e, assim, estaremos para sempre com o Senhor. Harpádzo (é o termo que é traduzido para arrebatamento), este tem um significado abrangente, em Mateus 11:12 é traduzido como “apoderaram-se” no sentido de tomar para si; já em Mateus 13:19 a idéia é de “roubo” como também em João 10:28; uma tradução menos comum nos encontramos em João 10:12, “atacar” no sentido de investida. É derivado de haireomai (que significa tomar para si, preferir, escolher, escolher pelo voto, eleger para governar um cargo público). De qualquer forma arrebatamento significa tomar para si, roubar, raptar, capturar; qualquer uma é válida desde que esteja de acordo com o contexto, por isso “harpadzo” em I Ts 4:17 ficaria melhor como: ...depois, nós os que estivermos vivos, juntamente com eles (os mortos ressurretos) seremos levados por Jesus até as nuvens para nos encontrarmos com ele nos ares, e assim, estaremos para sempre com o Senhor. Alguns comentaristas sugerem roubo ou rapto da igreja como possível tradução, no entanto, a igreja não vai ser tomada indevidamente, pois Jesus a comprou com seu sangue (At 20:28) a obtenção da igreja é legitima. Portanto arrebatamento é o evento em que Jesus vem até as nuvens buscar para si a sua igreja, Paulo adverte a igreja a esperar em santidade e vigilância. 1 Ts 5:23 O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo.

3.2- VINDA

Quanto a este tema três palavras são usadas para referir-se à vinda de Cristo e estas são utilizadas nos textos originais de várias maneiras, no entanto precisaremos conhece-las para que tenhamos uma compreensão melhor sobre seus significados e se podemos utilizá-las ou não para nomear a vinda gloriosa de Cristo. Ensinamos um pouco no culto de doutrina na quinta feira (grifo meu) Parousia (Sua tradução segundo o dicionário grego de Willian Carey é: presença, vinda, chegada, volta; “visita real, chegada de um rei”) “a futura visível volta de Jesus, o messias, do céu para ressuscitar os mortos, realizar o juízo final, e estabelecer formal e gloriosamente o reino de Deus” (Thayer) Parousia é derivado de pareimi (que significa estar perto, estar a mão, ter chegado, estar presente estar pronto, em estoque, às ordens (dicionário Strong). Seu sentido é abrangente, tanto pode se referir ao arrebatamento quanto à volta gloriosa de Jesus. Em 2Co 10:10 e Fp 2:12 parousia refere-se a presença pessoal de qualquer pessoa; em 1Co 16:17 trata da vinda pessoal de alguém, que no caso é Estéfanas, Fortunato e Acaico, como em Fp 2:12 onde Paulo fala de sua parousia (presença) entre os filipenses em contraste com sua apousia (ausência); em 2Ts 2:9 trata do aparecimento do anticristo; em 1Co 15:23, 1Ts 2:19, 4:15 e 5:23 entre outros referem-se ao arrebatamento; e em Mt 24:3, 27, 37, 39, 1Ts 3:13, 2Pe 1:16 entre outros, tratam da vinda gloriosa de Jesus a terra. Concluímos então que parousia não tem condições de ser usada para definir decisivamente e exclusivamente como sendo a vinda no arrebatamento, já que pode significar qualquer vinda. Parousia expressa na língua portuguesa o sentido da palavra “presença”, e esta presença pode ser de qualquer coisa ou pessoa. O fato é que este termo tem sido usado por vários escritores como sendo a palavra que define o arrebatamento como a “parousia de Cristo”, e isto é um erro, pois o termo, como vimos, pode significar vários tipos de vinda. Epifhanéia manifestação, aparecimento, “vinda”; literalmente significa “brilho à frente” (Vine). É usada por vários escritores para designar a volta gloriosa de Jesus após a grande tribulação.

Sua raiz epifa sempre está ligada a aparição e manifestação, outra forma é epifhaino (que significa: aparecer, fazer uma aparição, mostrar-se, como em Lc 1:79, At 27:20 e Tt 2:11; e ainda epifhaísco: aparecer, surgir, como em Ef 5:14). Epifhanéia é usado para se referir a volta gloriosa de Jesus em 2Tm 4:1 “Conjuro-te, perante Deus e Cristo Jesus, que há de julgar vivos e mortos, pela sua manifestação e pelo seu reino”, e Tt 2:13 “aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória dos nosso grande Deus e Salvador Cristo Jesus” neste versículo encontramos os dois eventos aguardados pela igreja de Cristo, a expressão “bendita esperança” refere-se ao arrebatamento, enquanto “manifestação da glória” trata da vinda gloriosa de Jesus. Em 1Tm 6:14 e 2Tm 4:8 o contexto indica que se trata do arrebatamento e em 2Tm 1:10 o contexto indica claramente se tratar da encarnação de Jesus Cristo; em Mt 24:27 revela o brilho da glória do Senhor Jesus. A conclusão é simples: devido o fato se tratar de vários tipos de vinda e “aparições”, e não definir claramente qual, não pode ser estabelecido que quando se fala da vinda gloriosa e visível de Cristo use-se o termo “a epifhanéia de Cristo”. Apokalupsis Revelação, exposição, manifestação. Mesma raiz de apokalupto (revelo, descubro).

Seu uso é frequente para designar a revelação de Jesus Cristo, ou seja, a sua vinda, no entanto, também não consegue por si só definir qual das vindas está se referindo. Em Lc 17:30, 2Ts 1:7, 1Pe 4:13 nitidamente indica a vinda visível de Cristo; em 1Co 1:7, Cl 3:4 e 1Pe 1:7, 13 refere-se ao arrebatamento. Devido seu significado e uso abrangente também é usado nas Escrituras para referir-se a descobrimento e revelação da palavra de Deus na alma entre outros usos. Em Lc 12:32 fala da revelação da palavra aos gentios; Rm 16:25 e Ef 3:3 falam da revelação do “mistério” que é o plano de Deus para esta era; Ef 1:17 o termo retrata a questão da revelação do conhecimento de Deus à alma do homem e etc... Portanto, fica difícil provar que este termo indique claramente que evento ele se refere já que além, de ser utilizado para relatar os dois, tem outros usos. Phanerósis Existe ainda uma palavra usada por alguns escritores para designar a volta gloriosa de Cristo, que é Phanerósis, no entanto, esta não é usada nos textos que falam da vinda de Cristo, este termo aparece em 1Co 12:7 “A manifestação (Phanerósis) do Espírito é concedida a cada um visando a um fim proveitoso”, não indicando a manifestação de Cristo na sua vinda, mas uma manifestação do Espírito Santo, no sentido simples de demonstração. O verbo que está relacionado ao termo em questão é phaneró (revelar, mostrar, fazer conhecido, como em Mc 4:22; Jo 7:4; 17:6; 21:14; Rm 1:19; 3:21; 2Co 2:14; Ef 5:13; 1Tm 3:16; Tt 1:3; Hb 9:8; 9:26; 1Jo 1:2 e 2:28). Nunca e em nenhuma de suas formas

Aquele que testifica estas coisas diz: Certamente cedo venho. Amém. Ora vem, Senhor Jesus. Ap. 22.20

Pr Adelcio Ferreira.

Adaptado do meu Curso Bacharel em teologia. Pr. Flávio Nunes.

Imprimir Artigo PDF

 

Enviar comentário

voltar para Estudos

left|left tsN fwB|left show fwR|c10|||login news c10 c05 fwR tsY b01 b02 bsd|b01 c05 normalcase uppercase bsd|b01 normalcase fwR c10 tsY bsd|login news c05 b01 normalcase uppercase bsd|c05 tsN normalcase b01 b02 uppercase bsd|b01 c05 normalcase uppercase tsY bsd|content-inner||