Prisões de Trevas 2 Pedro 2:4

Segundo comentário bíblico de  John Gill o que diz a segunda carta de Pedro no seu capítulo 2. versículo 4.

2Pe 2:4 Se Deus não poupou os anjos que pecaram;... Por quem aqui significa o diabo e os seus anjos; que são espíritos criados por Deus e como tal eram bons; a primeira propriedade deles da qual eles partiram era pura e santa, como também uma posição alta e honrosa; eles estavam no princípio na verdade, no entanto, eles não permaneceram; eles estavam uma vez entre as estrelas d'alva e filhos de Deus, e eram anjos de luz; o números deles é além de contagem, e então é expresso aqui no número plural, "anjos", no entanto, não pode ser dito como grande; uma legião deles estava em um homem; um poderia estar no princípio na rebelião, e arrastou um número grande com ele nesta rebelião, pelo menos um estava à cabeça deles, que é chamado Belzebu, o príncipe dos demônios: qual foi o primeiro pecado deles e a ocasião disto, não é fácil dizer; geralmente se pensa no orgulho, enquanto afetados por esse sentimento tentaram ser uma igualdade com Deus;[1] visto que isto foi o que o homem foi tentado por eles, e o qual ele caiu, como pensamos que eles fazem; e porque este é o pecado da tal cai na condenação do diabo; 1Ti 3:6, e é o pecado que muitos caem; como fez na queda do homem, assim pode ter acontecido antes da queda dos anjos, Pro 16:18. A passagem em João 8:44 parece claramente expressar o pecado deles, que não continuaram firmes na verdade; na verdade do Evangelho, particularmente a grande verdade da salvação dos homens, pelo Filho encarnado de Deus; e o qual eles não puderam por nenhum modo e meios tentá-lo com o orgulho, eles que não aguentam o pensamento de que a natureza humana deveria ser exaltada sobre a sua; consequentemente são ditos dos judeus, onde Cristo disse que se eles fossem de Deus, eles o amariam, e o aceitariam como Messias, mas eles não fazem isso porque o Pai deles é o diabo, e fazem os desejos de seu pai; Judas que o traiu, e caiu do seu apostolado, e da verdade, é chamado de um diabo; e são nomeadas as heresias dos homens, com respeito à pessoa e ofício de Cristo, doutrinas de demônios; e homens que professaram esta verdade, e depois a negam, são representados no mesmo caso irrecuperável e desesperado com os demônios, e devem esperar o mesmo castigo, João 8:44, e também pode ser observado pelo contrário, que os anjos bons que estavam, grandemente no amor, valor, estima, e buscavam e permaneciam nas verdades do Evangelho; particularmente o esquema da salvação do homem, pela encarnação, obediência, sofrimentos, e morte de Cristo: agora estes

Deus não poupou;... Ou “não teve misericórdia”, como a versão Árabe verte; Ele não perdoou o pecado deles, nem proveu um Salvador para eles; mas diretamente, e de uma vez, apesar da dignidade e excelência de sua natureza, em estrita justiça, e grande severidade, sem misericórdia, infligiu punição devida sobre eles; portanto, não pode se pensar que os falsos instrutores, que, como eles, não se apegam a verdade, mas a negam e se opõem a ela, devam escapar da vingança de Deus:

Mas os lançou no inferno;... Eles foram expulsos dos céus, de onde eles caíram como um relâmpago, dentro das “mais baixas”, ou inferiores partes, como a versão Siríaca verte; ou no ar, como em Efésios 2:2 ou na terra; como em Apocalipse 12:9 ou nas profundezas, o abismo, onde eles são detidos, como em uma prisão, Lucas 8:31 embora por algumas razões, e em certos momentos, são permitidos sair, e andar em volta da terra, e no ar: e a isso, quando removidos de seus antigos assentos celestiais, não foram simplesmente expulso, como os iníquos serão no dia do julgamento; ou foram “expulsos” com grande poder, indignação, ira, e nunca serão levantados e restaurados de novo:

E os lançou em laços de escuridão;... Os deixando debaixo da culpa do pecado que é o poder da escuridão e em desespero negro; os calando em incredulidade, impenitência, e dureza da mente; sendo presos com as cordas dos seus pecados, e no estado mais terrível de escravidão e cativeiro para as suas luxúrias, no julgamento deles; e na condição mais miserável e incômoda, sendo dirigido dos lugares de luz, privados da face e presença de Deus, no horror extremo e tremendo, e tendo uma expectativa tenebrosa de julgamento, e indignação para os consumir; e em escuridão absoluta, sem ao menos o brilho da luz, alegria, paz, e conforto; e onde há nada mais que lamento, e o ranger dos dentes; e também estando debaixo das restrições do poder e providência de Deus, e não sendo capaz de mexer ou mover, ou fazer qualquer outra coisa sem permissão divina; e sendo igualmente, pelos propósitos perpétuos, inalteráveis, e inescrutáveis os decretos de Deus, designados para a ira perpétua e destruição; pela a qual eles são consignados, e fazem jejum, cujo castigo eles não podem escapar:

Para serem reservados aos julgamentos: Para o dia de julgamento, para o último julgamento final; o julgamento de tormento, como a versão Siríaca aqui chama; as palavras podem ser traduzidas, "e os entregando em covas de profunda escuridão, para o julgamento do ultimo dia”; quando eles serão por completo atormentados; e então eles serão lançados no lago de fogo preparado para eles, e terão os sofridos eternos, estando presos eternamente na prisão do inferno de onde eles nunca mais sairão; haverá o tempo em que eles realmente estarão debaixo de restrições, sendo contidos por Cristo, que tem o poder de os soltar a seu bel-prazer; e quem então, como o Juiz dos homens e demônios, os julgará, e passa a executar sentença sobre eles. Os judeus dão relatos do abatimento, queda, e o castigo dos anjos, até certo ponto quase como o de Pedro, a quem eles falam com nomes diferentes; assim da serpente que enganou o Adão e Eva, a quem eles chamam Samael.

"Lançará Samael e seus companheiros do seu lugar de santidade, dos céus;”

E de Asa e Asael, anjos, que, dizem eles, pecaram por desejar as filhas dos homens, eles frequentemente aforam que Deus os lançará para baixo de sua santidade [l] e que ele אפיל לון לתתא, “os lançará para baixo em cadeias”


E que Deus os lançou para baixo de sua santidade acima; e quando eles desceram, eles domiraram o ar – e Ele os trouxe para as montanhas da escuridão, que são chamadas de montanhas do Leste, e os colocou em cadeias de aço, e as cadeias foram lançadas no meio de grande profundidade [n]: e em outro lugar eles dizem [o], que Deus os lançou para baixo de seu grau de santidade, dos céus – de seu lugar santos para fora dos céus – e os prenderam nas “cadeias” de aço, nas montanhas da “escuridão”.


_____________
Notas
[k] Sepher Bahir em Zohar em Gen. fol. 27. 3. (l) Zohar em Gen. fol. 25. 3. (m) lb. fol. 32. 3. (n) Midrash Ruth em Zohar em Gen. fol. 45. 1. 2. vid. fol. 77. 3. (o) Zohar em Num. fol. 84. 1. vid. Tzeror Hammor, fol. 6. 4. & 9. 4. & Raziel, fol. 14. 2. & 18. 2.
[1] Cf. Filipenses 2:6. N do T.

Pr. Adélcio Ferreira

Imprimir Artigo PDF

Enviar comentário

voltar para Estudos

left|left tsN fwB|left show fwR|c10|||login news c10 c05 fwR tsY b01 b02 bsd|b01 c05 normalcase uppercase bsd|b01 normalcase fwR c10 tsY bsd|login news c05 b01 normalcase uppercase bsd|c05 tsN normalcase b01 b02 uppercase bsd|b01 c05 normalcase uppercase tsY bsd|content-inner||